BRASILEIRÃO

Arthur Elias relembra caso de racismo na Libertadores: ‘Pensei em tirar o time do campo’

Arthur Elias relembra caso de racismo na Libertadores: ‘Pensei em tirar o time do campo’
O Corinthians viveu grande temporada em 2021, ano em que conquistou pela primeira vez a tríplice coroa no futebol feminino, contemplando o Campeonato Paulista, o Brasileirão e a Libertadores da América. Em entrevista, o treinador da modalidade, Arthur Elias, foi desafiado a escolher o momento mais marcante do ano vitorioso."Difícil responder, mas os mais especiais…

O Corinthians viveu grande temporada em 2021, ano em que conquistou pela primeira vez a tríplice coroa no futebol feminino, contemplando o Campeonato Paulista, o Brasileirão e a Libertadores da América. Em entrevista, o treinador da modalidade, Arthur Elias, foi desafiado a escolher o momento mais marcante do ano vitorioso.

“Difícil responder, mas os mais especiais foram as finais. São dez títulos, então todos marcam. Eu não sei dizer.” disse, em entrevista ao podcast De Lavada.

Apesar dos bons momentos durante o ano, Arthur também relembrou um episódio lamentável que aconteceu com uma jogadora do Corinthians em 2021. Durante a partida contra o Nacional (URU), a atacante Adriana foi vítima de racismo por parte de uma jogadora adversária.

Marcante foi o caso de racismo na Libertadores, isso pra mim foi muito triste. A gente estava goleando, era pra ficar muito feliz no dia e o sentimento foi o oposto pelo que aconteceu com a Adriana. Pensei em tirar o time do campo. Racismo está em todos os lugares, algo estrutural, mas acho que a gente está no caminho. A gente parou o jogo, atitude muito boa”, disse.

“Quem escutou foi a Vic e a Andressa, que chamaram a Adriana de macaca. Foi uma coisa nojenta. A gente conseguiu reverter bem, as meninas reagiram de uma forma diferente. Tava todo muito chateado, mas a gente não queria estender, não queria ir para um julgamento, a gente queria a final que era o que a gente merecia. A gente seguiu no jogo e fizemos o protesto no gol, nada mais representativo que o gol da Grazi.” concluiu Arthur.

Na ocasião, o Corinthians viria a responder o ato de racismo dentro das quatro linhas, goleando o Nacional (URU) por 8 a 0. Além da situação lamentável envolvendo a atacante Adriana, o jogo também marcou a classificação do Corinthians à final da Libertadores Feminina, que viria a vencer dias depois.

Veja mais em:
Corinthians Feminino, Arthur Elias e Libertadores da América.

Fonte