BRASILEIRÃO

Campeonato Brasileiro tem uma demissão de técnico a cada duas rodadas

Campeonato Brasileiro tem uma demissão de técnico a cada duas rodadas
Com 21 jogos disputados na Série A, já tivemos 14 trocas de treinadores; apenas oito clubes da elite nacional não mudaram o comando de suas equipes Por Da Redação access_time 27 set 2019, 12h43 - Publicado em 27 set 2019, 12h38 Depois de bater boca publicamente com Ganso, Oswaldo de Oliveira acabou demitido do Fluminense (Bruna…

Com 21 jogos disputados na Série A, já tivemos 14 trocas de treinadores; apenas oito clubes da elite nacional não mudaram o comando de suas equipes

Por Da Redação

access_time

27 set 2019, 12h43 – Publicado em 27 set 2019, 12h38

Depois de bater boca publicamente com Ganso, Oswaldo de Oliveira acabou demitido do Fluminense (Bruna Prado/Getty Images)

A série de mudanças que começou nesta quinta-feira no futebol nacional teve continuidade na manhã de sexta-feira. Com as quedas de Cuca, no São Paulo, e Rogério Ceni, no Cruzeiro, o Campeonato Brasileiro teve, até agora, 14 trocas de treinador, quase uma modificação a cada dois jogos na competição (contando 21 rodadas) – nesta sexta, pela manhã, o Fortaleza anunciou a queda de Zé Ricardo e o Fluminense comunicou que Oswaldo de Oliveira também está de saída.

Apenas oito equipes que disputam o Brasileirão ainda não trocaram de treinador durante a competição: Atlético-MG, Bahia, Botafogo, Ceará, Corinthians, Grêmio, Internacional e Santos. Para quem não se lembra, Vanderlei Luxemburgo entrou no lugar do interino Marcos Gomes na quinta rodada do Brasileirão, em maio, e era lanterna do torneio – atualmente ocupa a 13ª colocação da tabela. Anteriormente, o cruzmaltino estava sendo comandado por Alberto Valentim, que acabou não aguentando a derrota na final do Campeonato Carioca.

Logo em seguida, na sexta rodada do nacional, o Flamengo foi quem perdeu o técnico Abel Braga, que pediu demissão. Apesar da conquista do estadual, o treinador não aguentou a pressão por jogar mais bonito e conquistar pontos importantes na tabela. Para o cargo, quem foi chamado foi o português Jorge Jesus, que vem encantando mídia e torcedores, colocando o Rubro-Negro em primeiro isolado do Brasileiro e na disputa pela Libertadores.

Para finalizar, Fernando Diniz não aguentou uma sequência de maus resultados no Fluminense e foi demitido no último dia 19 de agosto, quando o Tricolor das Laranjeiras perdeu de 1 a 0 para o CSA em pleno Maracanã. Oswaldo de Oliveira foi o escolhido para substituí-lo, mas não durou sete partidas. Após a discussão com o meia Paulo Henrique Ganso no empate contra o Santos, a diretoria do Flu optou nesta sexta por encerrar a passagem do treinador pelo clube.

Diniz, porém, foi a escolha do São Paulo, na noite da última quinta, horas após a saída de Cuca. O técnico não aguentou a derrota para o Goiás no Morumbi, na última quarta, e deixou o cargo. Com a chegada de Diniz, Vagner Mancini, coordenador técnico, também pediu demissão.

(com Gazeta Press)


Notícias sobre

Campeonato BrasileiroCucaDemissãoEC CruzeiroFluminenseFutebolOswaldo de OliveiraRogério CeniSão Paulo FC

Fonte