BRASILEIRÃO

Carteiros e bancários são incluídos nos grupos prioritários da vacina

Carteiros e bancários são incluídos nos grupos prioritários da vacina
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta terça-feira (6) a inclusão dos bancários e dos trabalhadores dos Correios entre os grupos prioritários da vacinação contra a covid-19. Representantes do setor haviam se reunido com o ministro para definir sobre a imunização desses profissionais. A estimativa é que as categorias reúnam 600 mil pessoas. Leia…

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, anunciou nesta terça-feira (6) a inclusão dos bancários e dos trabalhadores dos Correios entre os grupos prioritários da vacinação contra a covid-19. Representantes do setor haviam se reunido com o ministro para definir sobre a imunização desses profissionais. A estimativa é que as categorias reúnam 600 mil pessoas.

Leia também: Metade dos brasileiros acima de 18 anos já tomou 1ª dose de vacina

Os novos grupos serão incluídos nos calendários previstos pelas secretarias estaduais e municipais para a imunização de toda a população adulta, acima de 18 anos. Em todo o Brasil, os governos já estão vacinando por idade, de forma decrescente. Na cidade de São Paulo, nesta semana, começa a aplicação da primeira dose em pessoas com 40 anos.

De acordo com o Ministério da Saúde, já foram distribuídas até agora aos estados e municípios mais de 143 milhões de doses de vacinas contra a covid-19, com um total de 106,9 milhões já aplicadas.

A quantidade de pessoas que receberam a primeira dose do imunizante representa 49,3% da população com 18 anos ou mais. Já são 78,9 milhões de brasileiros vacinados contra a covid-19, sendo que 27,9 milhões de pessoas já estão com o ciclo vacinal completo, ou seja, com as duas doses.

A Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), que tem acordo de transferência de tecnologia para a produção de IFA (ingrediente farmacêutico ativo) em território nacional, é a maior fornecedora de vacinas para o PNI (Programa Nacional de Imunização). A fundação vinculada ao Ministério da Saúde já entregou mais de 71 milhões de vacinas AstraZeneca.

O país também já recebeu 53,3 milhões de vacinas CoronaVac produzidas pelo Instituto Butantan; 13,9 milhões da Pfizer/Biontech e 4,7 milhões da Janssen.

Fonte