TORCIDA

Cervejaria faz torcedores sentirem o futebol de maneira inédita

Cervejaria faz torcedores sentirem o futebol de maneira inédita
O grito da torcida a cada lance emocionante, o silêncio após uma jogada perigosa do adversário, a explosão dos torcedores depois de um gol... Quem disse que é preciso ver para sentir e transmitir todas as emoções de um jogo de futebol? A Cervejaria Brahma convocou o torcedor José Moyses da Silva, de 54 anos,…

O grito da torcida a cada lance emocionante, o silêncio após uma jogada perigosa do adversário, a explosão dos torcedores depois de um gol… Quem disse que é preciso ver para sentir e transmitir todas as emoções de um jogo de futebol? A Cervejaria Brahma convocou o torcedor José Moyses da Silva, de 54 anos, para avaliar a partida entre Brasil e Peru, no dia 22 de junho, em São Paulo.

A Brahma convocou o torcedor cego José Moyses da Silva para “narrar” uma partida de futebol (Foto: Reprodução)

Foto: Lance!

Sem poder enxergar, ele contou detalhes do duelo de um jeito inédito e único. Se a visão mostra para os narradores e comentaristas o que acontece em campo, os outros sentidos aguçam sensações que passam despercebidas nas transmissões. E é esse sentimento que realmente importa e vale a pena ser contado.

Ex-jogador da base da Ponte Preta, José esteve em Itaquera não apenas para acompanhar o jogo da Seleção Brasileira. Ele participou da transmissão da Rádio Jovem Pan para narrar todas as emoções do futebol. Com entradas ao vivo antes, durante e depois do duelo, ele transmitiu aos ouvintes como sentiu a partida, contando as principais sensações e emoções que rolaram durante o duelo e como estava o ânimo da torcida. Guiado pela sensação dos demais torcedores a sua volta e pela energia vinda dentro de campo, teria melhor maneira de transmitir o que realmente importa no futebol?José traz a paixão pelo futebol da infância. O futuro como atleta profissional só foi interrompido por conta de um descolamento de retina, quando ele tinha 22 anos. Mesmo assim, o amor pela modalidade, pelo time do coração e pelo Brasil só cresceu, mas dessa vez, fora de campo, acompanhando os jogos no estádio e escutando as transmissões pelo rádio.

– Sou uma pessoa normal, simplesmente, eu vejo a vida de outra forma. As pessoas das emissoras de rádio são a retina dos meus olhos. Até brinco com meus amigos que vejo o jogo melhor do que eles. Quando o time está atacando, dá para perceber, porque a torcida vai aumentando o volume e você vem junto. Dá para perceber perfeitamente. Fico mais concentrado e ligado no jogo, o que dá a impressão que estou ajudando os caras a tocar e empurrar a bola. A sintonia fica bem mais afinada. Da minha forma, consigo ver cada pedaço do gramado. Queria que todo mundo pudesse sentir o futebol da mesma forma que eu sinto – afirmou o torcedor, que trabalha vendendo frutas em terminais de ônibus.

– Queremos valorizar as histórias marcantes e mostrar para as pessoas aquilo que realmente importa. A paixão do brasileiro pelo futebol extrapola o campo de jogo e chega até as arquibancadas de maneira que muitos não conseguem imaginar – declarou Arthur Menga, gerente regional de Brahma.

Confira a experiência de José no vídeo abaixo:

Fonte

Redação SP

Adicionar Comentário

Clique aqui para enviar um comentário