MORUMBI

Cícero sonha com campanha perfeita do Botafogo como mandante no Brasileirão

Cícero sonha com campanha perfeita do Botafogo como mandante no Brasileirão
Redação, Estadão Conteúdo 03 de maio de 2019 | 18h22 Somar o máximo de pontos em casa. Essa é a meta do Botafogo para a sequência do Campeonato Brasileiro, como apontou, nesta sexta-feira, Cícero. Um dia após o time superar o Bahia por 3 a 2, no Engenhão, o meio-campista destacou a importância de o…

Redação, Estadão Conteúdo

03 de maio de 2019 | 18h22

Somar o máximo de pontos em casa. Essa é a meta do Botafogo para a sequência do Campeonato Brasileiro, como apontou, nesta sexta-feira, Cícero. Um dia após o time superar o Bahia por 3 a 2, no Engenhão, o meio-campista destacou a importância de o time manter o embalo no duelo de domingo com o Fortaleza, novamente no seu estádio.

Cícero lembrou que as rodadas iniciais do Brasileirão foram marcadas pelo equilíbrio, com apenas três times tendo 100% de aproveitamento – São Paulo, Atlético-MG e Santos – e outros 11 tendo somado um triunfo e uma derrota.

“É difícil falar do Brasileiro, um dos campeonatos mais equilibrados do mundo. A maioria que ganhou na primeira rodada perdeu na segunda. É tudo muito nivelado, até com os clubes de maior investimento. A gente costuma falar que fora você vai tentar o resultado, mas se não acontecer temos que ganhar em casa. Não tem jogo fácil. Sabemos da pressão de ter que ganhar e vamos entrar com ela no domingo para vencermos. Essa vitória nos deu confiança. Se ganharmos todos os jogos dentro de casa no fim estaremos lá em cima na tabela. É buscar o equilíbrio”, disse.

Polivalente, Cícero vem exercendo diferentes funções no Botafogo sob o comando de Eduardo Barroca, tanto que na estreia do time no Brasileirão contra o São Paulo jogou aberto pelo lado direito. Ele destacou que pode realizá-la novamente, mas que prefere mesmo ser utilizado como volante.

“Ele deu uma conversada comigo, disse que sabia das minhas características e que queria no Morumbi um jogo que a gente ficasse com a bola. Em certos momentos isso funcionou, mas faltou a agressividade na frente. Claro que fujo muito das minhas características jogando aberto. Jogo mais com um terceiro homem no meio, um volante. É ali que me sinto bem e encaixo. Aqui no Brasil a cobrança é grande, mas quando você joga na sua é melhor. Para melhorar sempre temos que evoluir em alguma coisa e o Barroca está buscando uma identidade para a equipe”, afirmou.

Fonte