BRASILEIRÃO

Com grandes campeões, Brasileiro de Jiu-Jitsu Esportivo 2022 bate recorde de competidores – ISTOÉ Independente

Com grandes campeões, Brasileiro de Jiu-Jitsu Esportivo 2022 bate recorde de competidores – ISTOÉ Independente
Esportes Campeonato aconteceu no último fim de semana, em São Paulo, e reuniu a nata do Jiu-Jitsu brasileiro na capital paulista; resultados Recorde de competidores e um verdadeiro sucesso. Assim foi o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu Esportivo – Gi & No-Gi – da CBJJE, realizado nos dias 24, 25 e 26 de junho, no Ginásio…

Esportes

Campeonato aconteceu no último fim de semana, em São Paulo, e reuniu a nata do Jiu-Jitsu brasileiro na capital paulista; resultados

Recorde de competidores e um verdadeiro sucesso. Assim foi o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu Esportivo – Gi & No-Gi – da CBJJE, realizado nos dias 24, 25 e 26 de junho, no Ginásio Mauro Pinheiro, em São Paulo. Como de costume, o evento contou com centenas de atletas – representando algumas das melhores equipes do país – em busca das premiações em dinheiro para os campeões do absoluto (dividido em leve e pesado).

Presidente da CBJJE, Moisés Muradi fez uma análise do Brasileiro de Jiu-Jitsu Esportivo 2022 e destacou a presença de atletas de todo o país, mostrando a força da confederação:

– O balanço é super positivo. A CBJJE está muito bem estruturada, com uma metodologia que viemos aperfeiçoando ao longo dos anos, e o resultado é isso, um Brasileiro com participação recorde e muito elogiado – disse Moisés, que ainda completou:

– Há muitos a gente vem trabalhando com todos os estados, buscando uma comunicação com os professores e representantes de cada região, e levando pra lá competições, seminários sobre regras, etc. Esse vínculo veio se fortalecendo e a galera faz questão de marcar presença no Campeonato Brasileiro.

Na disputa por equipes geral (Gi & No-Gi) do Brasileiro de Jiu-Jitsu Esportivo, a representação de Mato Grosso foi a grande campeã, com 26 medalhas de ouro, 35 pratas e 48 bronzes. No segundo lugar veio a Alliance, com a CheckMat em terceiro. Gracie Barra e Guigo JJ, respectivamente, completaram o Top 5.

* Veja AQUI os resultados completos



Yuri Muradi, diretor da CBJJE, aproveitou para comentar sobre o clima no ginásio, um verdadeiro “caldeirão”, e também ressaltou o trabalho social da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo.

– O Campeonato Brasileiro estava demais, o ginásio parecia um caldeirão, recorde de participantes, e com certeza atingiu todas as expectativas. Parte desse resultado surge do nosso incentivo às crianças para vir lutar, participar, pois elas são o futuro do esporte. Além disso, gostaria de citar também o nosso lado social, com a arrecadação e doação de alimentos não perecíveis, além de rações, em uma parceria com a Liga da Justiça Animal – afirmou Yuri.

Destaques com o pano

O alto nível das disputas, em especial na faixa-preta com quimono, foi outro ponto que chamou a atenção durante o Brasileiro de Jiu-Jitsu Esportivo, com grandes nomes em ação. No masculino adulto, Raul Basílio (Almeida JJ) e Marcus Scooby (Alliance) faturaram o ouro duplo, vencendo as suas divisões de peso, além do absoluto leve e pesado, respectivamente.

Já entre as mulheres, Aurlinda Queiroz, faixa-preta da Amazonas Top Team, conquistou o título peso-pena e o absoluto leve com dois triunfos sobre Vanessa Paixão, da Lotus Club. Vale citar, ainda, o brilho das feras Lucas Maquiné (Guigo JJ) e Caio Pinheiro (Nova União) na faixa-marrom.

Destaques sem quimono

Nos confrontos No-Gi, dois faixas-preta se sobressaíram no evento. Enquanto Leonardo Gonçalves (Gracie Barra) venceu a categoria e o absoluto pesado, Eliel Silva (Cícero Costha) ficou com o título do absoluto leve e a prata na mesma divisão. As mulheres, por sua vez, não compareceram nas disputas sem quimono.

Passado o Campeonato Brasileiro de Jiu-Jitsu Esportivo, o próximo torneio da CBJJE está marcado para o dia 28 de agosto, com o BJJ International 2022, novamente no Ginásio Mauro Pinheiro, no Ibirapuera (SP). As inscrições já estão abertas.






Fonte