TORCIDA

Com zagueiro como prioridade, Flamengo estuda adquirir restante dos direitos de Rodrigo Caio

Com zagueiro como prioridade, Flamengo estuda adquirir restante dos direitos de Rodrigo Caio
Publicado em 06/06/19 05:04 Rodrigo Caio foi o autor do gol do Rubro-Negro Foto: MARCELO THEOBALD / Agência O Globo Quando o Flamengo anunciou a contratação de Rodrigo Caio, a torcida rubro-negra ficou com um pé atrás. Afinal, o zagueiro deixou o São Paulo em baixa. Porém, a desconfiança foi logo colocada para escanteio assim…

Rodrigo Caio foi o autor do gol do Rubro-Negro Foto: MARCELO THEOBALD / Agência O Globo

Quando o Flamengo anunciou a contratação de Rodrigo Caio, a torcida rubro-negra ficou com um pé atrás. Afinal, o zagueiro deixou o São Paulo em baixa. Porém, a desconfiança foi logo colocada para escanteio assim que entrou em campo e começou a dar conta do recado. O momento é tão favorável que a diretoria já projeta comprar 100% do atleta — hoje tem 45% —, que tem contrato até o fim de 2023 e custou R$ 23 milhões.

A prioridade é ainda a contratação de outro zagueiro para brigar por posição com Léo Duarte. Mas a possibilidade de estender o vínculo e adquirir o restante dos direitos econômicos de Rodrigo Caio já está em debate na cúpula do futebol rubro-negro.

— Tenho sonhos, e hoje estou vivendo. Sempre sonhei jogar em um clube gigante como o Flamengo, sem desmerecer o São Paulo. Vestir essa camisa e ter a chance de ser campeão é um sonho. Claro que penso em seleção, mas hoje a minha seleção é o Flamengo. Se eu estiver bem, as oportunidades vão aparecer — disse o zagueiro, que esteve próximo de ir à Copa do Mundo de 2018, ma Rússia, mas ficou fora.

— Tinha a chance para ir para Copa, acho que eu brigava com o Geromel (zagueiro do Grêmio). Mas a lesão três semanas antes me afastou. Fiquei com muitas dores no pé esquerdo — recordou, em entrevista ao “Sportv”.

Mesmo com pouco tempo de casa, Rodrigo Caio levará o Flamengo para sempre no seu coração. O zagueiro disse ter sentido algo diferente no clube da Gávea.

— Tive um momento difícil em 2018, e o Flamengo abriu uma porta importante. Quando cheguei e joguei, senti uma energia positiva grande, me senti em casa, como se tivesse feito a carreira inteira do Flamengo. Encarei 2019 como um divisor de águas — salientou.

Em quarto lugar no Campeonato Brasileiro, com 13 pontos — o Palmeiras soma 16, mas tem uma partida a menos —, o Flamengo terá o Fluminense como adversário no domingo, às 19h, no Maracanã. O novo técnico da equipe, o português Jorge Jesus, é aguardado no estádio para assistir ao time.

Antes da parada para a Copa América, o Rubro-Negro enfrenta o CSA, na quarta-feira, dia 12, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília. O clube alagoano vendeu o mando de campo.

Fonte