MORUMBI

Cuca compara lances de Toró e Liziero e alfineta arbitragem: “Tem que se organizar”

O técnico Cuca não saiu satisfeito com a arbitragem de Daniel Bins neste domingo, no empate sem gols do São Paulo com o Bahia, no estádio do Morumbi. Perdendo Toró aos 26 minutos por conta de uma solada do atacante no goleiro Douglas, o comandante tricolor crê que o juiz poderia ter tido o mesmo…

O técnico Cuca não saiu satisfeito com a arbitragem de Daniel Bins neste domingo, no empate sem gols do São Paulo com o Bahia, no estádio do Morumbi. Perdendo Toró aos 26 minutos por conta de uma solada do atacante no goleiro Douglas, o comandante tricolor crê que o juiz poderia ter tido o mesmo critério ainda no primeiro tempo, quando Liziero sofreu uma dura entrada no tornozelo direito, teve de ser substituído, mas o rival Gregore não foi advertido sequer com um cartão amarelo.

“Eles [árbitros] falam que é interpretação. Conversei com o árbitro, ele disse que estava grande e sabia o que tinha feito, que eu poderia confiar. Quem está lá em cima chama o árbitro e passa uma bomba para ele. Ele tem que definir. De repente, os caras lá de cima podem ajudar mais. Já vi lances em que o jogador pisou no pé do outro e chamaram o VAR. Eles têm que se organizar para ter um critério só. Hoje o VAR está mais importante que o árbitro de campo”, disse Cuca.

Apesar do tropeço diante de mais de 40 mil pessoas, o técnico do São Paulo não considerou o empate como algo completamente negativo. Isso porque alguns atletas que estiveram em campo hoje estavam retornando de um período afastados dos gramados, como é o caso de Luan, que teve de entrar na vaga de Liziero ainda no primeiro tempo após se recuperar de um estiramento na coxa esquerda.

“Um jogador a menos, no desgaste que a equipe vem… perdi o Liziero aos 14 minutos, não foi chamado o VAR pra entrada que o Liziero sofreu. Tive que lançar o Luan, que é um menino que está voltando, a equipe sentiu na parte física no segundo tempo. Perdemos a força por ter um jogador a menos e os que estavam no campo sentiram o jogo”, prosseguiu.

“Aprendi na vida que um empate a gente só vê que ele é bom quando a gente perde. Então, hoje não temos que reclamar do empate. Foi um resultado justo, o Bahia, quando esteve com um a mais, jogou melhor. A maioria dos nossos jogadores não estiveram em um grande dia”, completou.

Agora, o São Paulo já volta o foco para o jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. O Tricolor volta a encontrar o Bahia no estádio do Morumbi na próxima quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), e terá de montar uma estratégia bem mais eficiente que a deste domingo caso queira se manter vivo na briga pelo título da competição mata-mata.


Gazeta Esportiva

Fonte