BRASILEIRÃO

Evangelista em países muçulmanos ensina a enfrentar medos e perigos: ‘Confie em Jesus’

Evangelista em países muçulmanos ensina a enfrentar medos e perigos: ‘Confie em Jesus’
O chamado missionário de Leif Hetland é pregar para o mundo muçulmano, para onde está novamente a caminho nos próximos dias. Durante sua estada no Brasil, onde foi um dos preletores da conferência On Mission, realizada na Paz Church, em São Paulo, o Pr. Leif concedeu entrevista exclusiva ao Guiame. A conferência internacional, realizada de…

O chamado missionário de Leif Hetland é pregar para o mundo muçulmano, para onde está novamente a caminho nos próximos dias. Durante sua estada no Brasil, onde foi um dos preletores da conferência On Mission, realizada na Paz Church, em São Paulo, o Pr. Leif concedeu entrevista exclusiva ao Guiame.

A conferência internacional, realizada de 11 a 14 de maio pela Global Awakening, contou ainda com os preletores Randy Clark, Heidi Baker, Abe Huber e Tom Jones.

Norueguês, o Pr. Leif precisou ficar afastado das missões no Oriente Médio por um tempo devido aos fechamentos de fronteiras em decorrência da pandemia de Covid-19. De volta às atividades, esteve em Cuba, Brasil e em sua agenda inclui ainda este ano a Caxemira (região entre a Índia e o Paquistão) e o Afeganistão.

Acompanhe a entrevista:

Guiame: Como está o trabalho missionário hoje diante das dificuldades como a pandemia e tantas questões que o mundo atual está vivendo?

Leif Hetland: Estamos no meio de uma tempestade. Na Bíblia, nós vemos duas tempestades sendo relatadas. Com elas, Deus nos ensina sobre as estações de adversidades. Em uma, Jesus convida seus discípulos a entrarem no barco para atravessar para o outro lado e assim eles entraram na tempestade. Jesus não quer nos matar, quer ensinar que mesmo nas adversidades precisamos continuar, porém confiando que Ele está conosco.

G.: Estamos mesmo atravessando tempestades. Como os ensinamentos da Bíblia sobre os problemas atuais podem nos ajudar?

L.H.: Como eu disse, a Bíblia nos fala de dois tipos de tempestades e podemos compará-las ao que vivemos hoje. Uma tempestade é física, com água dentro barco; e outra tempestade é emocional, e a Bíblia diz que os discípulos estavam inseguros e tiveram medo. E nos dois casos, aparece a tempestade espiritual. Durante esses momentos difíceis, perguntamos: Onde Deus está no meio de tudo isso? A resposta é que ele está em todo e qualquer tipo de tempestade que estejamos vivendo, e Jesus nos dá essa lição.

G.: Como agir em meio a tantos eventos que parecem sem controle?  

L.H.: Aprendendo com Jesus. Veja, em uma das tempestades o que ele fazia? Ele estava dormindo no barco (Marcos 4). A Bíblia fala que ele estava com a cabeça no travesseiro, em plena tempestade! No meio da pandemia, das notícias de conflitos entre as nações, dos eventos da natureza o que precisamos é fazer como Jesus: precisamos aprender a descansar em Deus. Porque esse descanso se torna em uma arma de guerra. A razão que Jesus diz “vamos atravessar por outro lado” mostra que se trata de uma travessia, e temos que entender a palavra que ele já falou antes da tempestade. Jesus não pode morrer na tempestade porque do outro lado vai existir um romper. Do outro lado tinha um homem endemoniado que precisa ser liberto, e havia uma missão a ser realizada. Então, a tempestade seria rompida.

G.: É difícil estar na tempestade e descansar…

L.H.: É uma questão de fé. Precisamos entender que quando Jesus fala que vamos atravessar, nós não morreremos na tempestade. Precisamos olhar para o que Jesus está fazendo, não para o que o inimigo está fazendo. As pessoas estão focadas naquilo que o diabo está fazendo, na ventania, nas ondas, e não enxergam o que Jesus está fazendo. Por isso, nós ficamos sobrecarregados e surpreendidos com aquilo que o diabo está fazendo.

G.: Os discípulos de Jesus também agiram assim?

L.H.: Sim. Os discípulos perguntaram para Jesus por que ele estava dormindo. E Jesus os responde com outra pergunta: Por que vocês estão com medo? Jesus leva o travesseiro para nos ensinar a descansar. Precisamos usar nossos travesseiros durante a pandemia, assim como antes de todas as tempestades em nossa vida. A razão do descanso de Jesus é que ele confiava no Pai e sabia que o Pai estava com ele. Onde tem a presença do Pai existe paz. Ele só faz o que vê o Pai fazer. Ele só fala o que ouve o Pai falar. Quando foi necessário, repreendeu os ventos e as ondas. Você tem autoridade nas tempestades, se estiver confiando no Pai, assim você pode dormir, e descansar. Mas você só consegue falar para a tempestade ao seu redor, quando não tem uma tempestade em seu interior. Esse era o caso de Jesus e não dos discípulos.

G.: O Sr. mencionou uma segunda tempestade…

L.H.: A segunda tempestade está em Mateus 14, Jesus fala para seus discípulos entrarem no barco e ele sobe o monte para orar. Os discípulos estão na tempestade, e era uma tempestade física. Igual hoje, Covid, finanças, inflação, Ucrânia, são tempestades físicas. Mas também uma tempestade emocional e espiritual… Estamos sozinhos no meio disso, pensaram os discípulos, assim como nós pensamos. As duas tempestades físicas e espirituais, estão acontecendo ao mesmo tempo no mundo.

Leif Hetland recebe oração dos pastores Abe Huber [à esq.] e Randy Clark [à dir.], antes de ministrar em SP. (Foto: Francielle Cecilia / Global Awakening)

G.: O Sr. entende que há movimentos espirituais envolvidos na atual situação do mundo com tantas questões envolvendo todos?

L.H.: Sem dúvida. Era o que acontecia nesta segunda tempestade que estamos falando. Duas situações estavam acontecendo. A primeira coisa é que os discípulos não estão vendo Jesus, ele está na montanha orando. Só que, de lá, Jesus os está enxergando. Mesmo que você não enxergue Jesus, Ele está te enxergando! Os discípulos foram surpreendidos, estavam com tanto medo que não reconheceram Jesus. Eles viram um fantasma. Mas quando Jesus “se revelou” andando sobre as águas, eles também se surpreenderam com o sobrenatural de Deus. Veja que Pedro foi o único que andou sobre as águas para encontrar Jesus, mas de novo o medo o dominou e ele começou a afundar.

G.: Muitos criticam Pedro por ter afundado, mas ele foi o único que arriscou.

L.H.: A questão que nos atrapalha é a dúvida: “E se?”. E se a gente morrer aqui? Você pode ter os dois “e se”: fé ou medo. Pedro experimentou o primeiro e assim estava manifestando sua fé. Mas logo, o outro “se” o dominou e ele caiu. Se o medo está te esmagando, você reconhece a voz de Jesus? Ele pode aparecer de uma forma que a gente não conhecia antes, mas não é um fantasma! É Jesus. Quando você não o reconhece, precisa entender e aprender a como discernir a voz calma, o sussurro no meio da tempestade te chamando para se encontrar com ele sobre as águas, a viver o sobrenatural. Estamos no meio da tempestade agora, ele está nos ensinando a andar sobre as águas. A graça dele é grande. Do outro lado, há cura, há milagres nos esperando.

G.: O Sr. entende que essas tempestades devem ser entendidas como sinais dos tempos?

L.H.: No mundo existem três perguntas que toda pessoa precisa fazer. Primeira pergunta: Que tempo é esse? Segunda: O que Deus está fazendo? Terceira: Qual é o meu lugar?

Qual o tempo kairos que estamos vivendo agora? Estamos vivendo na segunda mais importante época da história… E precisamos entender o que Deus está fazendo na nossa geração. Depois, precisamos identificar como podemos nos juntar a ele, como podemos nos fazer disponíveis para ele… Muitos de nós não estão entendo o kairos (o tempo de Deus).

Veja: você precisa investir sua vida no lugar certo. Não fique olhando as ondas das tempestades dos nossos dias, olhe fixamente Jesus. Talvez você esteja preocupado, com medo e está abrigado num “barco”. Mas o lugar mais seguro na tempestade não é no barco, é nas águas, andando com Jesus. A Bíblia diz que se você tiver pouca fé e começar a afundar, a graça dele é grande sobre você. Ele vai estender sua mão e te levantar. Devemos então sair do barco e olhando apenas para Jesus. Essa é a resposta.

Fonte