Sem categoria

Grêmio alçou Diego Souza como astro… e 13 anos depois é sua tábua de salvação

O jogador, meia de destaque no Tricolor em 2007, volta agora como atacante e em momento de baixa Diego Souza foi revelado pelo Fluminense jogando como volante e também atuou na posição mais defensiva do meio-campo em sua passagem pelo Flamengo, entre 2005 e 2006. Mas foi em 2007, vestindo a camisa do Grêmio, quando…

O jogador, meia de destaque no Tricolor em 2007, volta agora como atacante e em momento de baixa

Diego Souza foi revelado pelo Fluminense jogando como volante e também atuou na posição mais defensiva do meio-campo em sua passagem pelo Flamengo, entre 2005 e 2006. Mas foi em 2007, vestindo a camisa do Grêmio, quando fez definitivamente a transição para a função mais ofensiva, de armador.

Quer acompanhar o melhor do futebol ao vivo ou quando quiser? Clique aqui e teste o DAZN com um mês grátis!

Na época emprestado pelo Benfica, foi um dos grandes destaques de um time que chegou até a final da Libertadores – onde seria derrotado pelo Boca Juniors. Com 22 anos na época, o então camisa 7 brilhou especialmente nos mata-matas contra São Paulo e Santos. Pelo Brasileirão também balançou as redes do arquirrival Internacional em pleno Beira-Rio.

Escolha dos editores

🔵🎙️| Diego Souza:

“Lembranças são as melhores possíveis. Em 2007, o Olímpico se tornava um caldeirão e aquilo fazia com que a gente se entregasse de uma maneira fora do comum. Nunca vi algo parecido”, sobre a Libertadores 2007.pic.twitter.com/o6XKaMTytj

— Grêmio The King (@GremioKing) January 28, 2020

O sucesso vestindo a camisa do Tricolor valorizou o atleta, que depois seguiria protagonista pelo Palmeiras antes de passagens por Atlético-MG, Vasco, Cruzeiro, Sport, Fluminense, São Paulo e Botafogo. Foi alternando momentos de qualidade com uma inconsistência para mostrar o seu bom futebol regularmente.

No Sport, virou atacante e, inspirado pelo sonho de conseguir uma vaga na Copa do Mundo de 2018, convenceu o São Paulo a apostar em seu talento. De lá para cá, a carreira de Diego Souza pareceu sair dos trilhos. Tanto que o Botafogo, clube pelo qual fez nove gols em 41 jogos na última temporada, não quis fazer muito esforço para mantê-lo em seu elenco.

Surpreendeu, portanto, a decisão do Grêmio em repatriar o antigo jogador. O torcedor ficou desconfiado, mas em sua apresentação oficial o atacante esbanjou confiança. Agora na disputa de uma vaga como homem mais avançado, disse acreditar que suas características se encaixam com a do time treinado por Renato Gaúcho.

“Acho que a característica que o time do Grêmio tem, muita movimentação, posse de bola, movimentação, posso me aproveitar sim. Acho que eles podem me ajudar e eu posso ajudar neste jeito de jogar”.

Diego Souza recebeu a camisa de número 29 das mãos do Presidente Romildo Bolzan. Seja muito bem-vindo, Diego! 🇪🇪 #ReforçoTricolor pic.twitter.com/fcHJbJef6E

— Grêmio FBPA (@Gremio) January 28, 2020

“Eu mudei bastante sim, cada vez fui jogando mais pra frente”, disse ao ser questionado sobre a sua mudança tática 13 temporadas após sua última passagem pelo Grêmio.

Perto de completar 35 anos, Diego Souza espera que o clube que o alçou definitivamente como um protagonista no futebol brasileiro seja o mesmo que lhe ajude a ser decisivo por um grande time do nosso país. Esta pode ser a sua última chance nesta altura do campeonato.

Fonte