TORCIDA

Há um mês sem futebol, torcedores cariocas imaginam como estariam seus times sem a crise do coronavírus

Há um mês, a crise do coronavírus provocou a suspensão dos campeonatos estaduais do Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, o que acarretou a paralisação do esporte no país inteiro. Com saudade de ver a bola rolando, torcedores dos clubes cariocas contaram ao EXTRA como acham que estaria seus times nesse…

Há um mês, a crise do coronavírus provocou a suspensão dos campeonatos estaduais do Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul, o que acarretou a paralisação do esporte no país inteiro. Com saudade de ver a bola rolando, torcedores dos clubes cariocas contaram ao EXTRA como acham que estaria seus times nesse momento, se não houvesse pandemia.

Em clássico disputado na véspera da paralisação, Vasco e Fluminense foram os últimos grandes a entrarem em campo pela terceira rodada da Taça Rio. A essa altura, a Ferj já tinha acatado a orientação do Ministério da Saúde em disputar os jogos com portões fechados, e, diante de um Maracanã vazio, o tricolor venceu por 2 a 0. O resultado culminou na demissão de Abel Braga.

“Meme do caixão”: Dançarino é fã de futebol e tem Lionel Messi como maior ídolo

A sequência sem vitórias no estadual deixou o torcedor cruzmaltino desanimado, mas o professor de Educação Física Alex Costa, acredita que a troca de técnicos foi positiva, ainda que a pandemia não tenha permitido que a torcida conhecesse o trabalho do novo comandante.

— A contratação do sempre vencedor Antônio Lopes gera expectativa positiva para o time melhorar tática e tecnicamente. Mesmo com essas promessas de melhora, acho que se o campeonato tivesse transcorrido normalmente o Vasco não iria se classificar para as finais do carioca, tendo a difícil tarefa de buscar reforços em posições importantes para fazer um campeonato brasileiro competitivo — disse ele.

A vitória no último jogo deu esperanças para a equipe do Fluminense, e o torcedor Lauro Rocha acredita que o time poderia ir longe no campeonato estadual. Porém, numa previsão a longo prazo, ele imagina mais uma decepção no Brasileirão.

Teste: Você se lembra de todas as vítimas de Fred com a camisa do Fluminense?

— O Fluminense me iludiria no Campeonato Carioca com um vice – mas por pouco -, porém a realidade bateria cruel no Brasileirão e estaríamos ali na zona do “tanto faz”, não tão longe da classificação para a Libertadores mas muito perto do rebaixamento — afirma o professor de filosofia de 32 anos.

O futebol parou com o Flamengo como o time brasileiro com melhor aproveitaento na temporada. O rubro-negro entrou em campo pela última vez no dia 14 de março, em vitória por 2 a 1 sobre a Portuguesa no Maracanã com portões fechados. Há mais de uma mês sem ver seu time jogar, o torcedor Daniel Campos acredita que o momento atual seria o melhor possível.

— Imagino um Flamengo encaminhando a conquista do Estadual, sem precisar das finais, líder em seu grupo da Libertadores, empatando no Equador e vencendo no Rio de Janeiro — disse o digitador que vive e Copacabana.

Leia mais: Jesus ‘amolece’ com proposta do Flamengo e acredita em acordo na volta ao Brasil

Flamengo ainda não avisou a Jesus sobre data de volta aos treinos

O próximo adversário do rubro-negro na Libertadores seria o Independente Del Valle, que entrou na paralisação como líder do grupo A, empatado com o Flamengo em pontos.

Já a torcida do Botafogo, deposita todas as suas expectativas no japonês Keisuke Honda. O jogo de estreia do camisa 10 também foi o último do time antes da paralisação, e os alvinegros ficaram só no empate contra o Bangu.

— Acho que estaria a mesma coisa, sem muitas mudanças de rendimento. No máximo boas atuações do Honda mostrando sua adaptação — projeta o engenheiro Bernardo Carneiro, que viu o japonês marcar de pênalti na última partida.

Pescaria: Durante quarentena, ex-jogador da NFL pesca usando camisa do Botafogo

Em 15 de março a CBF anunciou a suspensão de todas as competições nacionais em decorrência da pandemia do novo coronavírus, incluindo os Campeonatos Brasileiro Femininos A1 e A2, o Sub-17 e Copa do Brasil Sub-20. No dia seguinte as federações estaduais também comunicaram a paralisação de seus campeonatos, e ainda não há previsão de retorno.

Fonte