CARLOS AUGUSTO

Instituto Butantan detecta 36 variantes do coronavírus em circulação no Estado de São Paulo

Instituto Butantan detecta 36 variantes do coronavírus em circulação no Estado de São Paulo
Três delas foram registradas pela primeira vez, de acordo com a Rede de Alerta das Variantes O Instituto Butantan detectou 36 variantes do coronavírus em circulação no Estado de São Paulo, sendo que três delas foram identificadas pela primeira vez. O Boletim Epidemiológico da Rede de Alerta das Variantes também identificou quatro novas linhagens da…

Três delas foram registradas pela primeira vez, de acordo com a Rede de Alerta das Variantes

O Instituto Butantan detectou 36 variantes do coronavírus em circulação no Estado de São Paulo, sendo que três delas foram identificadas pela primeira vez. O Boletim Epidemiológico da Rede de Alerta das Variantes também identificou quatro novas linhagens da variante Delta. Apesar do número crescente de variantes, casos de Covid-19 diminuíram em São Paulo.

As informações foram apresentadas pela diretora do Centro de Desenvolvimento Científico do Butantan, Sandra Vessoni, em evento realizado nesta segunda-feira (30/8) pelo ILP (Instituto do Legislativo Paulista) em parceria com a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo).

Entre as variantes identificadas de forma inédita, estão a B.1.1621.1, também conhecida como Copa América; a B.1.540; e a AY.3; com um, cinco e três casos, respectivamente.

A presença das novas mutações do vírus no Estado preocupa os especialistas devido à alta taxa de contágio de algumas cepas, como a própria Delta, que foi responsável pelo aumento de casos no Reino Unido.

Segundo Sandra Vessoni, apesar dos novos registros, a variante Gama ainda é a mais incidente em São Paulo, correspondendo a 85% dos casos, seguida pela variante Delta, com 3%.

No entanto, embora esteja longe de representar a maioria dos casos no Estado, a variante Delta vem se espalhando rapidamente, e já foi identificada em 13 das 17 divisões regionais de saúde, representando 100% das infecções na divisão regional de Registro; 61,54% na Baixada Santista; 56,41% em São João de Boa Vista; e 43,31% na Grande São Paulo. Enquanto isso a incidência da variante Gama, a mais comum no Brasil, tem diminuído.

Sandra Vessoni destacou a importância do monitoramento da variante Delta. “Nós entendemos que juntar essas informações é necessário para que a gente consolide a importância da inserção da Delta dentro do Estado de São Paulo. O que significaria essa inserção em relação ao aumento de internações e uso de leitos”, falou.

Apesar do aumento do número de variantes, o Instituto Butantan constatou a redução da incidência de casos de coronavírus no Estado, visto que 14 divisões regionais de saúde apresentaram números menores de infecções se comparados à semana anterior. As outras 3 divisões registraram estabilidade nos casos.

Para assistir o evento na íntegra clique a q u i

Fonte