TORCIDA

Jogo foi paralisado | Goleiro é vítima de gritos homofóbicos na Copinha

Jogo foi paralisado | Goleiro é vítima de gritos homofóbicos na Copinha
Um dos destaques da partida entre Audax-SP e Sport, realizada na manhã de hoje e válida pela Copa São Paulo de Futebol Júnior, o goleiro do time pernambucano Túlio foi alvo de gritos homofóbicos. O árbitro Thiago Luis Scarascati paralisou o jogo duas vezes, acionou a polícia e relatou as ofensas em súmula."Aos cinco minutos…

Um dos destaques da partida entre Audax-SP e Sport, realizada na manhã de hoje e válida pela Copa São Paulo de Futebol Júnior, o goleiro do time pernambucano Túlio foi alvo de gritos homofóbicos. O árbitro Thiago Luis Scarascati paralisou o jogo duas vezes, acionou a polícia e relatou as ofensas em súmula.

“Aos cinco minutos do segundo tempo paralisei a partida devido a torcida do Grêmio Osasco Audax E. C. entoar gritos homofóbicos “O BICHA”, quando o goleiro da equipe do Sport Club do Recife cobrava o tiro de meta, avisei então ambos os capitães bem como ambos os treinadores, o motivo da paralisação. O capitão da equipe do Grêmio Osasco pediu aos torcedores que não realizassem tal ato”, relatou o árbitro.

“Aos seis minutos e 30 segundos do segundo tempo ocorreu novamente a situação acima citada, paralisei novamente a partida e pedi ao policiamento a possibilidade de um suporte fora do campo para controlar a situação, nesse momento o sistema de som comunicou aos torcedores para que os atos fossem cessados, causando assim um efeito positivo aonde pudemos seguir o jogo até o seu fim”, completou.

Dentro de campo, Audax-SP e Sport empataram em 0 a 0. O resultado garantiu a classificação do Leão para a próxima fase da Copinha e eliminou a equipe paulista.

Vale ressaltar que o árbitro seguiu o protocolo estabelecido pela Confederação Brasileira de Futebol no último ano. O comunicado enviado aos clubes afirmava que ofensas discriminatórias poderiam acarretar na paralisação de partidas e até na perda de pontos. Também em 2019, o Supremo Tribunal Federal (STF) classificou homofobia como crime.

Fonte