TORCIDA

Minhas Impressões – Rodada 38 do Brasileiro

Minhas Impressões – Rodada 38 do Brasileiro
Que a queda do Cruzeiro empobrece o Brasileiro de 2020 não há dúvida. Mas o clube mineiro fez tanto descalabro em sua gestão, que o rebaixamento não é imerecido. Isso, porém, não tem a ver com o que penso da queda dos quatro últimos de uma competição com 20 clubes - exagero desnecessário e cruel.…

Que a queda do Cruzeiro empobrece o Brasileiro de 2020 não há dúvida.

Mas o clube mineiro fez tanto descalabro em sua gestão, que o rebaixamento não é imerecido.

Isso, porém, não tem a ver com o que penso da queda dos quatro últimos de uma competição com 20 clubes – exagero desnecessário e cruel.

Já é hora de a CBF rever nuances de sua principal competição.

Não é necessário mexer na estrutura da competição, apenas ajustar pontos que possam corrigir injustiças.

Como abrir a possibilidade de o 17º jogar, em campo neutro, uma partida contra o 4º colocado da Série B.

Detalhe que tornaria a competição ainda mais emocionante e aberta à correção de possíveis injustiças.

O que, evidentemente, não é o caso deste ano…

SANTOS 4 x 0 FLAMENGO.

A marcação adiantada do time de Sampaoli trouxe desconforto ao setor defensivo rubro-negro.

O mesmo, aliás, visto no 4 a 4 com o Vasco, no primeiro tempo da final da Libertadores, contra o River Plate, em Lima.

A diferença é que desta vez nem Jorge Jesus deu jeito.

Sanchez, Soteldo, Marinho e Jorge ditaram o ritmo e os campeões não tiveram motivação para freá-los.

Se o jogo era um teste com vistas ao Mundial de Clubes, em Dubai, o Flamengo tem o que corrigir.

VASCO 1 x 1 CHAPECOENSE.

O anticlímax do gol catarinense nos acréscimos foi um desfecho cruel, mas coerente, para um time que passou o ano se exibindo de forma medíocre.

Por isso Vanderlei quer percentual maior nos investimentos em reforços.

A diretoria crê que a meta deva ser pagar a dívida – se possível, encurtando o prazo já planejado.

E acha que dá para fazer mais no âmbito esportivo reformando o time sem o onerar tanto a folha salarial.

No fundo, é o reconhecimento de que a aposta na dupla Alexandre Faria e Alberto Valentim foi um erro estratégico da própria diretoria.

CORINTHIANS 1 x 2 FLUMINENSE.

Três fatores salvaram os tricolores da queda à Série B.

O DNA do bom futebol deixado por Fernando Diniz;

A matéria-prima garimpada pelos profissionais de Xerém;

E a lucidez de quem apostou na serenidade de Marcão quando a fervura dos maus resultados ameaçava o time.

A vitória em São Paulo com dois gols de Evanílson, o artilheiro do sub 20, renova a esperança, embora o cenário não seja dos mais animadores.

A precariedade econômica, trará dificuldades para a permanência do próprio Evanilson.

BOTAFOGO 1 x 1 CEARÁ.

Alberto Valentim não fez bom trabalho na segunda passagem pelo clube.

Sob seu comando, o time perdeu o dobro dos jogos que venceu (8 a 4), e sofreu o dobro dos gols que marcou (18 a 9).

Por isso, não sei ao certo o que leva o novo conselho gestor do futebol alvinegro a pensar em mantê-lo na formação de um Botafogo competitivo.

É evidente que o treinador campeão estadual em 2018 não é o responsável pela campanha medíocre protagonizada por um elenco limitado.

Mas a perspectiva de investimentos de grande porte em 2020, exige mais ousadia da diretoria.

É o que a torcida espera…

CRÉDITOS:

Foto 1: O atacante Marquinhos Gabriel caiu no choro após o rebaixamento do Cruzeiro / Reprodução/Internet

Foto 2: Filipe Luìs foi bem vigiado por Marinho e Victor Ferraz / Alexandre Vidal-Flamengo

Foto 3: Pikachu festeja o gol do Vasco nos braços da torcida / Rafael Ribeiro-Vasco

Foto 4: O jovem Evanílson, artilheiro do sub 20, fez os dois gols do Fluminense / Maílson Santana-Fluminense

Foto 5: Marcos Vinícius fez o gol do Botafogo e saiu machucado / Vitor Silva-Botafogo

Fonte

Redação SP

Adicionar Comentário

Clique aqui para enviar um comentário