TORCIDA

Pablo pede consciência em redução salarial e cautela para volta dos jogos

Nesta terça-feira, o atacante Pablo, do São Paulo, concedeu entrevista ao programa Jogo Aberto, da Band. Em período de 20 de férias no clube, desde o dia 2 deste mês, o jogador permanece em isolamento doméstico por conta da pandemia de coronavírus. Enquanto isso, ele tocou em assuntos que estão em evidência, como a redução…

Nesta terça-feira, o atacante Pablo, do São Paulo, concedeu entrevista ao programa Jogo Aberto, da Band. Em período de 20 de férias no clube, desde o dia 2 deste mês, o jogador permanece em isolamento doméstico por conta da pandemia de coronavírus. Enquanto isso, ele tocou em assuntos que estão em evidência, como a redução salarial e uma possível volta das competições.

Pablo abordou temas que têm gerado polêmica dentro e fora do São Paulo (Foto: Rubens Chiri / São Paulo)

Foto: Lance!

Em relação ao corte nos salários, Pablo não entrou em detalhes sobre a decisão tomada pelo Tricolor, que mesmo contra a vontade do elenco, decidiu cortar 50% dos vencimentos e congelar os direitos de imagem, prometendo que os valores não pagos, serão ressarcidos em outro momento. Para o atacante, é preciso consciência de todas as partes, pois a realidade de cada um é diferente.

– Questão de salário é muito difícil de falar, envolve muita gente. Eu acredito que nós, jogadores, temos que ter consciência, porque é um momento difícil não só para a instituição São Paulo, mas para o mundo inteiro, não só falando de futebol. Jogador de futebol, obviamente, é privilegiado, todo mundo sabe, mas quando você está em um grande ou quando você está em clubes de primeira ou segunda divisão. Quando você está numa situação de Série C, Serie D, já não é tão confortável. Tem jogadores que assinam contrato de três meses, só durante o Estadual. Então é muito relativo – argumento o camisa 9.

Em outra parte da entrevista, Pablo comentou a possibilidade de retorno às competições oficiais, que começa a ser discutido por clubes e federações no Brasil. Embora o centroavante diga estar ansioso por voltar a jogar futebol, ele acredita que uma retomada precoce possa expor os jogadores e outros envolvidos nas partidas, mesmo que o duelo seja com portões fechados.

– Acho que todo mundo que ama o futebol está com saudade de ver os jogos e o seu time. Todo mundo com saudade da quarta-feira à noite, do domingo à tarde.. Eu, como jogador, estou morrendo de saudade. Que possa voltar o quanto antes, mas, na minha visão, acredito que tem que voltar quando for mais seguro para todo mundo. Nós, jogadores, estaríamos expostos, porque não tem como você não tem o contato físico durante uma partida, mas, mesmo sem torcida, tem muita gente envolta, que trabalha para o jogo acontecer, e essas pessoas ficam muito expostas também. Eu acredito que tem que voltar o futebol quando for mais seguro para todo mundo – concluiu.

Pablo e o elenco do São Paulo voltam de férias na próxima semana, mas ainda não devem retomar as atividades em grupo no CT da Barra Funda, já que não há prazo para o retorno das competições, nem para a normalização da pandemia de coronavírus no Brasil e no mundo. Sendo assim, os jogadores continuarão mantendo a forma física em suas casas, em isolamento.

Veja também:

Confira as novas camisas dos clubes europeus

Fonte