CARLOS AUGUSTO

Padre congolês está desaparecido há 20 dias. Veja o que se sabe

Padre congolês está desaparecido há 20 dias. Veja o que se sabe
O padre congolês Quentin Venceslas Kolela, que atuava na Paróquia São Judas Tadeu, em São Paulo, está desaparecido há 20 dias. Kolela foi visto pela última vez em 3 de julho. Em publicação nas redes sociais, o perfil da Paróquia São Judas Tadeu informou que, naquela data, o sacerdote saiu da casa paroquial para almoçar e…

O padre congolês Quentin Venceslas Kolela, que atuava na Paróquia São Judas Tadeu, em São Paulo, está desaparecido há 20 dias.

Kolela foi visto pela última vez em 3 de julho. Em publicação nas redes sociais, o perfil da Paróquia São Judas Tadeu informou que, naquela data, o sacerdote saiu da casa paroquial para almoçar e não retornou.

Apesar de o caso ter ocorrido em São Paulo, um boletim de ocorrência foi aberto junto à Polícia Civil do Rio de Janeiro, pelo padre Luiz Gonzaga da Silva, superior-geral dos Assuncionistas do Brasil.

Antes de sumir, Kolela teria deixado uma mensagem por WhatsApp para seu superior, avisando que deixaria a congregação.

Ao portal g1, amigos do líder religioso informaram que ele teria relatado pressões psicológicas muito grande na Paróquia São Judas Tadeu, e por isso teria saído da igreja.

Segundo a Polícia Civil do Rio, a denúncia foi encaminhada às autoridades de segurança de São Paulo. No entanto, a Secretaria de Segurança Pública paulista afirma que não há nenhum registro de investigação sobre o caso.

O que dizem as instituições?

Em nota enviada ao Metrópoles a Arquidiocese de São Pualo informou que acompanha o caso e está “em diálogo permanente com a Congregação dos Agostinianos da Assunção (Assuncionistas), responsável pelo esse missionário, solicitando informações e providências desta junto às autoridades públicas para compreender o que, de fato, ocorreu com o Sacerdote”.

A instituição disse desconhecer as possíveis motivações do desaparecimento do padre Kolela. “A Arquidiocese se une às orações da comunidade católica por notícias do sacerdote, na esperança de que ele esteja bem e seja localizado”, consta no posicionamento.

A Congregação dos Agostinianos informou, em nota, que comunicou às autoridades policiais “todas as informações sobre as circunstâncias” do desparecimento de Kolela, e que continua empenhada em colaborar para os esclarecimentos dos fatos.

“Conclamamos todo o povo de Deus e as pessoas de boa vontade a se unirem a nós em oração, para que este nosso irmão seja encontrado em segurança e com plena saúde”, concluiu a instituição.

Metropoles

Fonte