TORCIDA

Ramiro questiona imediatismo do futebol brasileiro e pede paciência com Luan no Corinthians

Ramiro questiona imediatismo do futebol brasileiro e pede paciência com Luan no Corinthians
Ex-companheiros nos tempos de Grêmio, Ramiro saiu em defesa de Luan nesta sexta-feira e pediu paciência para a torcida do Corinthians. Em entrevista concedida no CT Joaquim Grava, o meio-campista falou sobre a situação do camisa 7 do Timão e ressaltou a necessidade de tempo de adaptação ao chegar em um novo clube."Acho que é…

Ex-companheiros nos tempos de Grêmio, Ramiro saiu em defesa de Luan nesta sexta-feira e pediu paciência para a torcida do Corinthians. Em entrevista concedida no CT Joaquim Grava, o meio-campista falou sobre a situação do camisa 7 do Timão e ressaltou a necessidade de tempo de adaptação ao chegar em um novo clube.

“Acho que é uma pergunta relativa (sobre momento de Luan), já que é atuação individual. Ele ficou seis, sete anos jogando com os mesmos companheiros. Não teve protagonismo do dia para noite. Ele construiu isso. Ele tá preparado para vestir a camisa do Corinthians, ele sabe da responsabilidade que é“, disse.

“Mas eu não gosto de comparar porque é diferente, ninguém é o mesmo do que era em outro time. Tem que cumprir o que a comissão e equipe precisam. Ele se dedica no dia a dia, sabe quando tá bem e quando tá mal. A oscilação existe e precisamos trabalhar para diminuir isso”, acrescentou.

Na sequência, Ramiro também questionou o imediatismo no futebol brasileiro, tanto por parte da imprensa quanto da própria torcida. Há de se ressaltar que além de alguns nomes do elenco, o técnico Tiago Nunes também vem sendo bastante cobrado por torcedores nas últimas semanas.

“Acredito que no Brasil a gente trata o futebol como resultado imediato e não sei dizer quando isso acaba. É uma cultura nossa, que eu discordo, mas respeito quem está acima. Manda quem pode, obedece quem tem juízo. A cobrança acontece de torcida, imprensa, e precisamos estar preparados para lidar com isso. Com resultados positivos é mais fácil de manter e lidar com essa situação”, concluiu.

Veja mais em:
Ramiro e Luan.

Fonte