BRASILEIRÃO

Seria o Flamengo tão grande quanto sua torcida pensa? A resposta é não

Seria o Flamengo tão grande quanto sua torcida pensa? A resposta é não
Apontar qual seria o maior clube do Brasil é uma tarefa hercúlea. Isso porque há, envolvidos nesse processo, inúmeros e complexos fatores impedindo que se estabeleça um critério perfeito e imune a críticas para se chegar a um veredito aceitável. Existe, por óbvio, uma elite de times tradicionais, restringindo o número de candidatos pela hegemonia…

Apontar
qual seria o maior clube do Brasil é uma tarefa hercúlea. Isso porque há,
envolvidos nesse processo, inúmeros e complexos fatores impedindo que se
estabeleça um critério perfeito e imune a críticas para se chegar a um veredito
aceitável. Existe, por óbvio, uma elite de times tradicionais, restringindo o
número de candidatos pela hegemonia histórica. Dentre eles está o Flamengo, aclamado
por sua torcida e por muitos setores da mídia. A partir desse pressuposto,
abre-se a grande questão: seria o Flamengo um time realmente tão grande quanto
se propaga?

Como
primeiro ponto, seria leviano — e um desconhecimento futebolístico absurdo — não
definir o Flamengo como um dos maiores times do Brasil. Os mais respeitados
institutos de pesquisa indicam que ele é o clube preferido dos brasileiros.
Além da popularidade, o Flamengo possui títulos no cenário nacional e
internacional, que em nenhuma hipótese podem ser desprezados.

Estrutura

A estrutura
do clube atualmente é de primeiro mundo. O Centro de Treinamento George Helal,
carinhosamente apelidado Ninho do Urubu, é referência, e suas instalações não
deixam nada a desejar aos clubes europeus. Conta com dois grandes prédios, 24
suítes equipadas, campos normais e para treinamento de goleiros, piscinas
oficiais e muitos outros atrativos. Todavia, ter uma estrutura boa é algo bastante
vago para se definir se um clube é grande ou não. Naturalmente, um clube grande
tem uma boa estrutura, dando plenas condições aos seus atletas. Mas isso, por
si só, não é suficiente para consolidar alguma agremiação no rol dos maiores. O
fato de o Flamengo não ter estádio próprio, por sua vez, também não o afasta do
patamar de grande. Basta lembrar que Milan e Inter de Milão não possuem
estádios e são gigantes europeus.

Torcida

Como já
dito, o Flamengo, segundo os maiores institutos consultivos, possui a maior
torcida do Brasil, ultrapassando 30 milhões de seguidores. O número é bastante
significativo, representando quase 18% dos torcedores nacionais. É o time das
massas, e joga praticamente em casa do Oiapoque ao Chuí. Uma crítica que recebe
é pelo fato de boa parte da torcida de fora do estado ser composta por mistos,
que são torcedores que possuem dois ou mais clubes como preferidos. Segundo o “Datafolha”,
as regiões Norte e Nordeste dão a liderança ao Flamengo, já que há um empate
técnico com o Corinthians na margem de erro. Na região de ambos, o Sudeste, o
Corinthians ganha com certa folga a preferência dos torcedores (19% contra
14%), enquanto no Norte, por exemplo, há uma discrepância incrível (37% de
flamenguistas contra 8% de corintianos). Como nesses estados boa parte da
amostragem também torce por times locais, há essa peculiaridade de adeptos com
mais de um time, o que, claro, não muda o fato de o Flamengo ser o mais
querido.

A massa de
flamenguistas no País pode ser explicada pela transmissão dos jogos nas redes
de rádio e televisão. A popularização do Flamengo como parte da identidade do
brasileiro começou nas décadas de 1930 e 40, com um trabalho de marketing do
próprio clube, desenvolvido com primor pelo presidente José Bastos Padilha e
propagado pela imprensa. Nota-se que a adesão das camadas populares de outras
regiões à preferência pelo rubro-negro carioca deveu-se ao fato de que muitas
delas recebiam as transmissões do campeonato carioca, em detrimento de seus
próprios estaduais, até meados da década de 2000. Isso criou uma massa de
fissurados pelos times do Rio de Janeiro, influenciando sobremaneira a
preferência dos torcedores desses locais, até por questões de proximidade e
conforto. É mais fácil, ainda hoje, um torcedor do interior da Bahia assistir a
um jogo do Flamengo pela televisão do que a um do Vitória, por exemplo.

Poderoso esquadrão

O grande
período do Flamengo foi o dos anos 1980. Ali o Flamengo garantiu suas maiores conquistas,
e chegou a um apogeu determinante para a sua consolidação no imaginário popular
como grande vencedor. Nesse período, foram conquistados nada menos do que três campeonatos
brasileiros, em um intervalo de quatro anos (1980-1983), uma Copa União (1987),
uma Libertadores e um Mundial de Clubes (1981).

Mesmo o melhor dos Flamengo da história não se compara a clubes como ao São Paulo multicampeão de 1993

O lendário
time de 1980-81 contava com Raul, Mozer, Júnior, Adílio, Andrade, Nunes e Zico.
Não dá para estabelecer uma comparação entre times de épocas distintas, mas
esse esquadrão se compara aos maiores times da história do Brasil, ao lado do
Santos de Pelé, Coutinho, Mengálvio, Dorval e Zico; do São Paulo de Telê, Raí,
Müller, Válber, Cafu e Zetti; do Botafogo de Garrincha e do Palmeiras da era
Parmalat. A diferença, para os dois primeiros, reside no fato de que aquelas
foram equipes bem mais vencedoras internacionalmente. O Santos foi bicampeão
brasileiro, da Libertadores, do Mundial e excursionava pelo mundo em torneios
amistosos derrotando gigantes como o Real Madrid. Já o São Paulo emplacou três
finais de Libertadores seguidas — vencendo duas delas —, foi campeão
brasileiro, bicampeão mundial, da Recopa, campeão da Supercopa e de outros torneios internacionais.
O Flamengo, nesse ponto, estacionou nos títulos conquistados em sua única jornada
internacional, em 1981.

Rebaixamento

O Flamengo
nunca foi rebaixado. Desde que foi fundado, em 1895 — apesar de o departamento
de futebol iniciar os trabalhos apenas em 1912 —, o time jamais disputou
partidas pela segunda divisão de qualquer torneio. Disputar uma divisão de
acesso, saindo da elite do futebol, é, sem dúvida, um marco negativo na
história de qualquer clube. E essa vergonha o Flamengo não tem em seu
currículo. A despeito disso, algumas vezes o time passou por apertos e por
pouco não caiu. Em 1995, ano de seu centenário, e quando formou o
autoproclamado “melhor ataque do mundo” (com Sávio, Romário e Edmundo), teve um
desempenho pífio e bateu na trave da série B. Também fez campanhas terríveis
nos brasileiros de 2001, 2004 e 2010. Em 1933, foi o último colocado no
Campeonato Carioca. Porém, de fato, o Flamengo jamais desceu de divisão. Ponto
para o clube carioca. Contudo, vale destacar que rebaixamento, em si, também
não é ponto chave para definir grandeza. Afinal, times gigantes como River
Plate, Bayern, Liverpool, Corinthians e Internacional já foram rebaixados, e não
deixaram de ser grandes por essa razão. Na verdade, é uma ostentação que vale
mais como provocação entre torcidas, mas que não deixa de ser um feito do
clube. 

Títulos

Nos
domínios nacionais, o Flamengo se destaca. Após afastar o rótulo de time
regional e conquistar o Brasileirão de 1980 em cima do Atlético, a equipe
colecionou grandes conquistas. É pentacampeão brasileiro (o STF reconheceu o
Sport como legítimo campeão de 1987) e tricampeão da Copa do Brasil. Com a
ratificação dos torneios pré-1971, o Flamengo deixou de figurar entre os maiores
campeões nacionais. Nos quesitos Brasileirão e Copa do Brasil, foi superado por
Palmeiras (10-3), Corinthians (7-3), Santos (8-1) e Cruzeiro (4-6). O
rubro-negro é o time com mais títulos cariocas (35) e possui apenas um título
no torneio Rio-SP, de 1961. No geral, o Flamengo, com suas taças, ocupa a sexta
posição no ranking da CBF, sendo um dos maiores do País. 

Títulos internacionais

Aqui parece
ser o calcanhar de Aquiles do Flamengo. O rubro-negro tem em sua coleção de
títulos um Mundial de Clubes, uma Libertadores e uma extinta Copa Mercosul.
Está no restrito grupo de equipes vencedoras de Mundial e Libertadores. Porém,
dentre os grandes brasileiros, perde para todos os times de São Paulo em
quantidade de títulos internacionais. Além deles, Inter (2), Grêmio (3) e
Cruzeiro (2) possuem mais Libertadores que o Flamengo. Corinthians, Vasco e
Atlético Mineiro empatam com ele. Depois de seu único título, por sinal, o
Flamengo colecionou fracassos no torneio sul-americano: foram cinco eliminações
na primeira fase e quatro nas oitavas de final. Para um clube que sempre gera expectativas,
é uma grande decepção. O time chegou a apenas uma final na história. Em 2002,
até mesmo o São Caetano disputou uma final de Libertadores. Desde o ano de sua
conquista sul-americana, por sinal, o Flamengo carrega uma grande polêmica: no
jogo de volta contra o Atlético, houve cinco expulsões, com um resultado
bastante contestado.

Pode-se
dizer que o Flamengo é um grande ganhador dentro de seu território, mas que não
consegue alcançar o mesmo desempenho internacionalmente. Na soma geral
internacional, perde para o São Paulo (13), Santos (8), Internacional e
Cruzeiro (7), Grêmio (6), Corinthians e Atlético (4). Para se ter uma ideia, com
seus títulos recentes, Atlético e Chapecoense se aproximam do Flamengo em
quantidade nesse ranking.

Conclusão

De uma
forma bastante objetiva, pode-se dizer que, independente dos critérios
utilizados, o Flamengo é um gigante nacional. Grandeza não se faz apenas de
concreto ou contemporaneidade, mas sim de tradição, história, títulos e
seguidores. E tudo isso o Flamengo tem de sobra. Se a questão passar pela
representatividade, sem dúvida, o Flamengo é um clube do mais alto patamar, ao
lado do Corinthians. São dois times de massas, que movimentam multidões onde
quer que joguem.

Em se
tratando de conquistas, o Flamengo possui um desequilíbrio histórico: apesar de
taças levantadas dentro do Brasil, deve muito internacionalmente, não passando
nem perto dos times mais ganhadores fora do País.

Fonte