MORUMBI

Vendedores ambulantes driblam fiscalização antes da abertura da Copa América

Vendedores ambulantes driblam fiscalização antes da abertura da Copa América
Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo 14 de junho de 2019 | 22h17 Na abertura da Copa América, vendedores ambulantes conseguiram comercializar produtos que não são vinculados a patrocinadores e parceiros oficiais da competição. Uma hora antes da partida inaugural, entre Brasil e Bolívia, a reportagem do Estado flagrou a venda de bebidas (água mineral…

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2019 | 22h17

Na abertura da Copa América, vendedores ambulantes conseguiram comercializar produtos que não são vinculados a patrocinadores e parceiros oficiais da competição. Uma hora antes da partida inaugural, entre Brasil e Bolívia, a reportagem do Estado flagrou a venda de bebidas (água mineral e refrigerante), além de faixas e bandeiras. A exemplo da Fifa, a Conmebol também proíbe a venda de produtos não licenciados nas proximidades dos estádios dos jogos. 

Os comerciantes conseguiram fazer a venda mesmo com bloqueios com grades e policiais militares instalados nos acessos do estádio. Um vendedor que não quis se identificar afirmou que conseguiu entrar na área de isolamento antes do início do bloqueio (16h30). Mesmo assim, os vendedores tinham de despistar a fiscalização ostensiva da Polícia Militar, feita com motocicletas.

Na entrada do estádio, minutos antes do início do jogo, um grupo de torcedores teve problemas com ingressos adquiridos para a estreia. “A numeração do ingresso não existia no setor que comprei. Tinham umas 50 pessoas com o mesmo problema. Mas logo a organização colocou todos em um outro setor”, disse o professor universitário Fabiano Silva.

FESTA CURTA

Boa parte dos torcedores das arquibancadas do Morumbi estranhou a duração de apenas 10 minutos da cerimônia de abertura. O evento foi realizado entre 21h10 e 21h20, pouco antes da entrada das seleções do Brasil e da Bolívia no gramado. “Estava esperando um show, como se fosse na Copa do Mundo”, disse o analista de Sistemas Carlos Eduardo Antenor. “Achei muito rápido. Poderiam ter mostrado mais os países”, opinou o professor de Educação Física Douglas Barreto.

O Comitê Organizador planejou fazer uma cerimônia curta, mas marcante. Segundo o diretor-artístico da abertura, Edson Erdmann, o evento foi a primeira parte de uma história que terá sua segunda e última metade na final da Copa América.

“Vamos contar uma história dividida em duas partes, a abertura é uma, a de encerramento é outra. O Brasil, com a Copa (de 2014) e Olimpíada (de 2016), já contou sua história. Agora, o Brasil convida os países América do Sul para contar suas histórias juntos”, contou Erdmann.

A festa contou com 400 pessoas em cena, além de 100 músicos. O tema principal da festa foi a união dos países em torno do futebol. A cerimônia teve a participação do cantor Léo Santana e da estrela colombiana Karol G, que gravaram a música tema da Copa América, “Vibra Continente”.

Fonte