TORCIDA

Zagueiro relembra momentos de ‘terror’ com a torcida do Corinthians em dia do rebaixamento do clube

Zagueiro relembra momentos de ‘terror’ com a torcida do Corinthians em dia do rebaixamento do clube
Nos últimos dias, o futebol brasileiro vem passando por episódios de violência dos torcedores com jogadores e casos no Rio Grande do Sul, Pernambuco e Paraná foram relatados. Em entrevista neste domingo, Cássio pediu fim a esse tipo de ocorrido no Brasil. Isso, porém, não vem de hoje. Carlão, zagueiro, relembrou quando sofreu no dia…

Nos últimos dias, o futebol brasileiro vem passando por episódios de violência dos torcedores com jogadores e casos no Rio Grande do Sul, Pernambuco e Paraná foram relatados. Em entrevista neste domingo, Cássio pediu fim a esse tipo de ocorrido no Brasil. Isso, porém, não vem de hoje. Carlão, zagueiro, relembrou quando sofreu no dia do rebaixamento do Corinthians em 2007.

“O dia do rebaixamento realmente foi um terror. Houve um episódio que eu acho que poucas pessoas sabem. A gente saindo do Olímpico, o ônibus andou 200, 300 metros e acabou saindo um torcedor de dentro do banheiro que estávamos. Desde a saída do estádio já foi um terror para a gente chegar ao aeroporto. Torcedores seguindo o ônibus em Porto Alegre. Quando chegou em São Paulo, o terror aumentou. Chegamos na pista, torcedores de moto seguindo o ônibus. Naquele dia, achei que poderia acontecer algo de muito ruim. Foram coisas que impactaram mesmo, tanto que a gente não pôde ir para casa naquele dia, tivemos que ir para outro lugar“, disse o jogador, que atua no Santo André nos dias atuais, em entrevista ao portal da ESPN Brasil.

“A cobrança é normal, todo mundo quer ganhar. Mas, da forma que foi, já fugia um pouco do que era o torcedor. Ali se falava de vidas. O futebol, às vezes, perde o controle que é surreal. Nesse dia do rebaixamento foi muito ruim. Psicologicamente para quem viveu foi terrível”, relembrou Carlão.

Em um 2007 marcado por crises dentro e fora de campo, o Corinthians lutou até a última rodada contra o rebaixamento no Brasileirão. A queda aconteceu contra o Grêmio, no Sul, após o time só empatar por 1 a 1. Carlão, mesmo assim, garantiu que os jogadores nunca jogaram a toalha.

“Nós em nenhum momento jogamos a toalha. Acreditávamos que, por todos os problemas, externos, internos, sabíamos que até a última rodada poderíamos salvar o clube. Ao mesmo tempo que a gente sabia da esperança, a gente via que o ambiente não era o ideal. Era muito pesado, a cada resultado que não vinha, o ambiente pesava. Na época, a MSI tinha saído, em termos de parte da diretoria, não tínhamos respaldo”, explicou o zagueiro criado na base do Timão.

“Com a saída da MSI, não sabia que mandava, que não mandava, quem vinha falar com o grupo. Foi um momento bem difícil, mas, até a última rodada contra o Grêmio a gente tinha a esperança de salvar o clube”, concluiu.

Em sua passagem pelo time profissional do Corinthians, Carlão realizou 48 jogos e anotou dois gols. Ao todo, foram 26 vitórias, nove empates e 13 derrotas entre 2006 e 2008.

Veja mais em:
Ex-jogadores do Corinthians.

Fonte